A corrida da cerveja: seis cidades mineiras disputam fábrica da Heineken

Depois de a empresa desistir de implantar fábrica em Pedro Leopoldo,municípios tentam atrair investimento de R$ 1,8 bilhão

A desistência da Cervejaria Heineken de instalar uma fábrica da marca em Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deflagrou uma corrida de outros municípios para disputar o empreendimento. Ao anunciar o cancelamento dos planos para Pedro Leopoldo, em 13 de dezembro, o diretor de Assuntos Corporativos do grupo no Brasil, Mauro Homem, afirmou que a empresa vai manter o projeto de uma nova planta no estado. O volume de investimentos previsto para o novo empreendimento é de R$ 1,8 bilhão e a unidade vai atender à demanda de consumo da Região Sudeste do país. Por ora, estão no páreo Uberaba, Patrocínio e Frutal, no Triângulo Mineiro, Ouro Preto e Mariana, na Região Central, e Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas.

Uberaba, na Região do Triângulo, foi a primeira a demonstrar interesse em levar o empreendimento para a cidade. No próprio dia 13, o vereador Túlio Michelli (PSL) entregou ofício ao vereador Fernando Mendes (MDB), líder do governo municipal, solicitando ações para atrair a fábrica da cervejaria. “A localização, qualidade da água e incentivos fiscais são alguns dos motivos que podem fazer a Heineken optar por ter a fábrica em Uberaba. É o momento de unir esforços e lutar para conquistar esse investimento”, defendeu o vereador. Ele acredita que Uberaba tem totais condições de atrair a unidade.
“Executivo, Legislativo e demais autoridades de Uberaba devem se unir para que a cidade conquiste a fábrica da Heineken. Minha equipe já está conversando com representantes da sociedade civil, principalmente com o grupo Pró-Uberaba, que reúne diversos empresários da cidade que apoiam a ideia”, acrescentou.
Já a Prefeitura de Uberaba, por meio de sua Secretaria de Comunicação, afirmou que, neste momento, ainda está “tomando conhecimento” das informações sobre a decisão da Heineken. A cidade já conta com uma unidade da Cervejaria Petrópolis, fabricante das cervejas Crystal, Lokal, Itaipava, Black Princess e Petra, entre outras.
No dia 16, foi a vez do prefeito de Patrocínio, também no Triângulo Mineiro, Deiro Marra, comunicar, por meio de suas redes sociais, que entrou na ‘luta’ para ter a fábrica na cidade. Ele enviou ofícios para a empresa manifestando o interesse do município em sediar a nova unidade. “Patrocínio entrou pra valer no páreo para participar do projeto de sediar a construção de uma fábrica da Cervejaria Heineken, antes prevista para Pedro Leopoldo. Manifestamos de forma oficial nosso interesse, tanto junto à presidência da Heineken Brasil quanto à Agência de Promoção de Investimentos e Comércio Exterior e presidência do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi)”, anunciou.
HISTÓRICAS NA DISPUTA 
As prefeituras das cidades históricas de Ouro Preto e Mariana, na Região Central, também manifestaram interesse em sediar a nova fábrica. De acordo com a Prefeitura de Ouro Preto, as secretarias de Governo e de Desenvolvimento Econômico já formalizaram o interesse em uma reunião com os gestores da Heineken.
Segundo a prefeitura, Ouro Preto tem área total de 1.245 quilômetros quadrados e estudos preliminares apontam áreas nos distritos de Miguel Burnier e Engenheiro Correia como possíveis locais para a instalação da fábrica. Numa área total de 140 hectares, a prefeitura estuda criar um parque industrial, que abrigaria a empresa.
Em relação à logística – um dos requisitos apontados pela cervejeira para escolha do local –, a prefeitura cita que Ouro Preto tem acessos pelas BR-040 e BR-356, situação que facilita a chegada de insumos e escoamento da produção. “Os estudos estão em andamento, já temos técnicos trabalhando nos estudos da hidrogeologia da região, para que possamos garantir tanto o abastecimento da empresa quanto a preservação dos recursos do meio ambiente. Nenhum empreendimento será instalado sem a autorização dos órgãos competentes”, afirma o superintendente da Secretaria Municipal de Governo de Ouro Preto, Samuel Sabino.
O superintendente diz ainda que os incentivos só serão garantidos em definitivo para a empresa mediante encargos, como garantia da função social decorrente da criação de empregos e renda e da importância para a economia, além das devidas licenças ambientais.
Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2021/12/24/interna_gerais,1333445/a-corrida-da-cerveja-seis-cidades-mineiras-disputam-fabrica-da-heineken.shtml?utm_source=hardnews&utm_medium=&utm_campaign=score&utm_term=undefined

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bem vindo!

Deixe seu comentário no final da postagem aqui no site.

Postagens Recentes